segunda-feira, 28 de março de 2016

Pressionado, Flávio Dino diz que vai à Justiça para recuperar BR-135

Obra é federal, mas governador do Maranhão tem sido pressionado a encontrar solução após mostrar-se muito próximo da presidente Dilma Rousseff
O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou no sábado, 26, por meio de suas contas nas redes sociais, que vai entrar na Justiça para que o Governo do Estado seja autorizado a realizar obras emergenciais de asfaltamento na BR-135, no trecho entre São Luís e Bacabeira, um dos mais críticos da rodovia.
O serviço seria de responsabilidade do Governo Federal – que conduz lentamente uma obra de duplicação do trecho -, mas Dino passou a ser mais cobrado por uma solução do problema depois de mostrar grande proximidade com a presidente Dilma Rousseff (PT), ao fazer a defesa pública da petista diante do clamor popular pela sua saída do governo.
Em comunicado a seus seguidores nas redes, o comunista disse que há meses vem solicitando do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), órgão vinculado ao Ministério dos Transportes , a recuperação da estrada, bem como a retomada da sua duplicação, atualmente praticamente paralisada.
“Nada foi feito, infelizmente. Venho alertando o Governo Federal para as tragédias que ali se verificam. Infelizmente, o DNIT há meses permanece inerte. Com a responsabilidade que me cabe, na segunda-feira o Estado do Maranhão ingressará na Justiça contra o Governo Federal”, anunciou.
Sem citar diretamente a aliada Dilma Rousseff, Flávio Dino classificou de “negligente” a atitude da presidente com o Maranhão.
“Compreendo e sou solidário com problemas do Governo Federal. Mas não posso compactuar com um ano de negligência do DNIT, no único acesso a São Luís. Legalmente não posso cuidar de obras federais. Por isso, espero que Justiça me autorize, para que possa resolver e cobre gastos do Governo Federal”, destacou.
Pressão – O posicionamento público do governador Flávio Dino veio após a intensificação das cobranças por melhorias na BR-135.
Por conta do feriadão da Semana Santa, muitos ludovicenses deixaram a ilha de carro, tendo que passar pelo crítico trecho entre o Km-0 e Bacabeira. Desde a quinta-feira, 24, surgem nas redes fotos e vídeos de motoristas relatando o cenário de caos na rodovia.
Na madrugada de sábado, a bailarina e professora de História Ana Duarte acabou assassinada durante um assalto na via. Ela havia reduzido a velocidade do veículo justamente por conta de buracos, na altura do Km-15, dentro da ilha, quando foi abordada por três criminosos. Ao tentar fugir, ela foi alvejada com um tiro de espingarda.
Deputados reclamam de condições da estrada desde 2015
Deputados estaduais e federais do Maranhão cobram do governo federal, desde o início do ano passado, solução para a duplicação da BR-135, no trecho entre o Estreito dos Mosquitos e a cidade de Bacabeira, e para a buraqueira que toma conta da vida.
O primeiro a se manifestar nos últimos 14 meses foi o deutado Wellington do Curso (PPS), em fevereiro do ano passado. Em discurso na tribuna, solicitou do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) esclarecimentos sobre o andamento das obras de adequação e duplicação da BR-135 e falou sobre a precariedade na manutenção da rodovia.
Em junho, após um requerimento do deputado Eduardo Braide (PMN), a Comissão de Obras e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa vistoriou o canteiro de obras. Participaram da visita, além de Braide, os deputados estaduais Vinicius Louro (PR), César Pires (PEN), Glalbert Cutrim (PDT) e Zé Inácio (PT) e o deputado federal Hildo Rocha (PMDB).
Os deputados Josimar de Maranhãozinho (PR) e Francisca Primo (PT) também já cobraram a regularização do ritmo das frentes de trabalho na rodovia.
No plano federal, a bancada maranhense tentou uma solução prática: confirmou aporte de R$ 150 milhões ao DNIT no Maranhão para a conclusão da duplicação da BR-135. O recurso é oriundo de emendas da bancada, mas ainda não há notícias sobre a aplicação do dinheiro.
Em discurso na Câmara, em agosto de 2015, o deputado federal João Marcelo (PMDB) aproveitou a presença do ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, no plenário, para cobrar solução para o que classificou de “insustentável situação da rodovia”.
“A BR-135 é a única porta de entrada e de saída, por terra, de São Luís. E, por causa da parada das obras, estão ocorrendo várias mortes. São insuportáveis, tanto as tragédias, quanto o trânsito, de caminhões, ônibus e veículos pequenos”, relatou.

De OEstado
Postar um comentário

Vereador Joãozinho Freitas homenageia PMs e comandante do Batalhão Tiradentes por salvar vítima de afogamento que pulou da ponte do São Francisco.

Vereador de São Luís Joãozinho Freitas entregou a Moção de Aplausos aos PMs e seu Comandante do Batalhão Tiradentes  por salva a vida ...