segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Rodoviários da Grande São Luís ameaçam paralisar as atividades por tempo indeterminado

O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (Sttrema) informou nesta segunda-feira (25), por meio de nota, que deverá paralisar as atividades na capital maranhense se o Governo do Estado não apresentar medidas eficazes para reduzir a violência dentro dos coletivos.
Segundo o sindicato, na semana passada, mais duas ações criminosas foram registradas em São Luís. Na BR-135, no Maracanã, um ônibus da Viação Primor foi assaltado por cinco homens armados com facas, na quarta-feira (20). Na ocasião o motorista do veículo chegou a ser golpeado, mas superficialmente, recebendo logo em seguida, atendimento médico em um hospital particular da capital e liberado na mesma noite.
Outro caso semelhante, ocorreu também na noite de quarta-feira, só que no bairro do Tibiri. Cinco homens, armados com facas e facões, invadiram um ônibus da empresa Menino Jesus de Praga, rendendo os passageiros, além do motorista e cobradora, que ainda apanharam de facão e tiveram os pertences levados pelos criminosos. Com mais esses dois casos, já são pelo menos 30 assaltos a ônibus contabilizados nesses primeiros vinte dias do ano.
Insegurança
De acordo com o Sttrema, já ocorreu uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), mas até agora, nenhuma medida surtiu efeito. “Se essas operações policiais não alcançarem os resultados que a categoria espera, teremos que tomar uma medida mais drástica. Não podemos aceitar que trabalhadores continuem sendo ameaçados por bandidos em pleno exercício da atividade", disse Isaias Castelo Branco, presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.
A intenção da categoria é paralisar as atividades por tempo indeterminado. "Se as ocorrências, relacionadas a assaltos a ônibus em São Luís não diminuírem, vamos ter que paralisar e só retornaremos, quando tivermos a garantia que a situação melhorou”, disse o presidente.
O ESTADO ONLINE entrou em contato com a SSP, que informou que têm adotado uma série de medidas, como as operações Transporte Seguro, Malha Metropolitana, Saturação e Transporte Embarcado. A SSP ressaltou as Polícias Civil e Militar têm efetuado prisões de assaltantes de coletivos e mais de 100 assaltantes já teriam sido identificados pela Secretaria de Segurança.
A secretaria disse, ainda, que a PMMA tem realizado o policiamento ostensivo nos cinco terminais de integração e montado barreiras policiais em vários pontos estratégicos da cidade, como nas Avenidas dos Holandeses, Daniel de La Touche, Getúlio Vargas, Franceses, Portugueses, Guajajaras, Africanos e MA 201, na qual tem sido realizadas abordagens e revistas em passageiros e no interior dos coletivos.
A SSP assegurou, ainda, que uma Força-Tarefa pontual foi montada na Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), com o aporte de delegados, para trabalharem na investigação, identificação e na resolução dessa prática criminosa. Equipes do Serviço de Inteligência da Polícia Militar e da Polícia Civil têm trabalhado de forma conjunta a fim de prender os autores dos assaltos.
Leia, na íntegra, a nota
O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão vem a público esclarecer que, principalmente, nos últimos dias, toda a diretoria está acompanhando de perto, a situação da insegurança na capital maranhense. Na semana passada, dois fatos, que resultaram em um motorista ferido e outro motorista e cobradora agredidos, deixou a entidade em estado de alerta.
A preocupação tem tomado proporções ainda maiores, porque já ocorreu uma reunião com a Secretaria de Segurança Pública, órgão que tem a responsabilidade de garantir a tranquilidade de usuários e trabalhadores nas paradas e dentro dos coletivos, mas até agora, nenhuma medida surtiu efeito, como por exemplo, reforço do policiamento, criação de uma força-tarefa como forma de inibir as ações dos criminosos e o trabalho conjunto do serviço de inteligência das policias civil e militar.
“Se essas operações policiais não alcançarem os resultados que a categoria espera, teremos que tomar uma medida mais drástica. Não podemos aceitar que trabalhadores continuem sendo ameaçados, por bandidos, em pleno exercício da atividade. Se as ocorrências, relacionadas a assaltos a ônibus em São Luís não diminuírem, vamos ter que paralisar e só retornaremos, quando tivermos a garantia que a situação melhorou”, ressalta Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

De OEstado

Nenhum comentário:

Maternidade Maria do Amparo retorna as suas atividades em São Luís

Em São Luís, as portas da Maternidade Maria do Amparo, no bairro do Anil, foram reabertas. O funcionamento foi suspenso no dia 11 de deze...