segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Motorista dorme ao volante e atropela duas crianças e moradores bloqueiam BR- 402 em Rosário.

Um acidente foi registrado na tarde deste domingo (17), no Km 15 da BR-402, nas proximidades do povoado Nambu Açu de Cima, localizado no município de Rosário, região metropolitana de São Luís. Um motorista que  conduzia um veículo modelo Peugeot 2008 Griffe, teria cochilado ao volante e atropelou duas crianças no acostamento da rodovia.
Uma das vítimas, um menino de aproximadamente quatro anos de idade, morreu no local. A outra criança, de 3 anos, ficou gravemente ferida e foi levada para o hospital de Rosário.
O carro ainda chegou a colidir com uma motocicleta e uma saveiro vermelha, estacionadas às margens da BR. O condutor ainda foi agredido pelos populares e quase foi linchado, mas equipes da PRF e da PM  impediram o ato. O veículo, no entanto, ficou destruído após ser incendiado.

Já na manhã desta segunda-feira (18), manifestantes se concentraram no local do acidente que matou o pequeno Pietro. Em sinal de protesto, bloquearam a BR 402, trecho do Povoado Nambuaçu de Cima, área rural do município de Rosário.

Populares atearam fogo na pista. Além de abrirem uma profunda vala para evitar a passagem dos veículos. 

Revoltados com a morte da criança  os participantes da manifestação  exigem a instalação de redutores de velocidade no período urbano da rodovia que leva aos lençóis maranhense. O velório do pequeno Pietro acontece a poucos metros do desastre e família pede por justiça. 

Com atualizações. 

domingo, 17 de novembro de 2019

Irlahi e Joaquim permanecem em silêncio após a prefeitura de Rosário aparecer na lista de investigadas pela PF e MPF por 'alunos fantasmas'.

Prefeita de Rosário Irlahi e o secretário  de Educação Joaquim permanecem em silencio após nome da prefeitura de Rosário aparecer na lista de prefeituras investigadas pela PF e o MPF.
A prefeita de Rosário Irlahi Moraes e o Secretário de Educação do Município Joaquim Neto permanecem ambos calados depois que a prefeitura de Rosário apareceu na listas de prefeituras  investigadas pela policia Federal e Ministério Publico sob suspeita usar " alunos fantasmas "  para inchar os dados do censo escolar e conseguir  recursos do governo federal .

O fantástico em reportagem mostrou como o golpe é aplicado em duas maneiras numa delas, os dados de pessoas reais são usados clandestinamente. Outra fraude é a crianção de alunos fantasmas.


Vídeo abaixo da reportagem mostra  como o golpe é aplicado. A prefeitura de Rosário e o Secretario de Educação  sequer publicaram uma nota para dar explicação para população. A Famem publicou mas dado como um  PÉSSIMO EXEMPLO,  já Município do presidente da FAMEM está na  relação de prefeituras investigadas pela PF.


sábado, 16 de novembro de 2019

Requerimento para analisar contrato de Ônibus Escolar de Kellyane é barrado pela Câmara de Bacabeira.

Na sessao desta  quinta-feira, 14, a vereador Kellyane Calvet  apresentou um requerimento 096/2019, solicitando da Prefeitura de Bacabeira, através da Secretaria de Educação que enviasse a Câmara Legislativa cópia do processo licitatório da contratação de Ônibus Escolar dos anos de 2018 É 2019.O requerimento da veredaora este que foi reprovada por 7 votos contra 2. 


"Uma vergonha, pois a Casa do Povo que têm como umas das principais prerrogativas de fiscalizar o poder executivo, a própria Câmara nega o requerimento de muito importância para que possamos ter conhecimento e analisar de como está e quantos ônibus da Educação estão  sendo pagos pelo recurso do FUNDEB" destacou a vereadora. 

Os vereadores do governo Fernanda  com medo barraram o requerimento da vereadora Kellyane  e não quiseram  fiscalizar e analisar  o processo licitatório de contratação dos ônibus escolar. Segundo informações ao blog tem vereador com  rabo preso que teve  medo da fiscalização e analise do contrato. 


Princípio de rebelião é controlado no Presídio de Rosário

Detendos da Unidade Prisional  do Estado no município de Rosário, promoveram um principio de rebelião nesta noite de sexta-feira (15),  que foi controlado pelos Agentes, Auxiliares Penitenciários e a Policia Militar do 27° Batalhão.

Segundo informações  o principio de rebelião aconteceu no final da visita quando os internos forçaram a derrubada do portão de uma das celas de compartimento de segurança da Unidade Prisional. 

As equipes de plantão dispararam bombas de efeito moral para conter o avanço dos internos e para reprimir uma possível  tentativa de fuga de internos.

O grupo Especial de Operação Penitenciário  também foi acionado para dar apoio na retirada e revista dos internos no pátio da Unidade Prisional Estadual.

Até agora não se sabe o que levou ao tumulto dos internos dentro da Unidade Prisional de Rosário.


Matéria com atualizações 


quarta-feira, 13 de novembro de 2019

"Flávio Dino quer mais um aumento na taxa de vistoria de automóveis, antes era R$ 11,80 ele quer R$ 115 reais”, diz deputado Wellington ao cobrar informações

O deputado estadual Wellington do Curso utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa para denunciar um novo aumento na taxa de vistoria no Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN. A taxa, que em 2014 custava R$ 11,80 e aumentou para R$ 30,00 em 2015, agora custará R$ 115,00.
Segundo Wellington, já é o terceiro aumento na taxa durante o governo de Flávio Dino, fato que afetará diretamente o cidadão maranhense que necessita realizar a vistoria obrigatória em seu veículo.
“ Mais uma vez o Governador Flávio Dino prejudica o trabalhador maranhense e aumenta, pela terceira vez, a taxa de vistoria de veículos automotores no DETRAN/MA. A taxa, que custava R$ 11,80, passará a custar R$ 115,00. Esse é o governador dos impostos! Diante disso, encaminhamos requerimento para a direção do DETRAN para que o órgão nos informe os motivos que justifiquem esse aumento e a maneira que a vistoria eletrônica será realizada.” Disse Wellington

Operação Emplacamento atinge prefeituras do Maranhão

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) e a Polícia Civil realizaram na manhã desta quarta-feira, 13, em Santa Inês, a Operação Emplacamento. A 1a Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís determinou o cumprimento de mandados de busca e apreensão em quatro empresas e cinco residências no município.

Coordenaram a operação as unidades do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), bem como a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) e a Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC). Foram apreendidos computadores, aparelhos celulares e documentos, que serão submetidos à perícia e devidamente analisados.

O Inquérito Policial, instaurado pelo 2º Departamento de Combate à Corrupção (2º Deccor) em trabalho conjunto com o Gaeco, apura possível organização criminosa com atuação na venda de veículos, principalmente ambulâncias, para prefeituras do Estado do Maranhão, mediante fraude e provável desvio de verbas públicas, com a participação de empresários, despachantes e servidores públicos.

INVESTIGAÇÕES

As investigações apontaram que, em 2017, no emplacamento de veículos adquiridos pelas prefeituras, o despachante e sócio da empresa Santa Inês Emplacamentos, Élton Luís da Silva Lima, apresentava duas notas fiscais à Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) em Santa Inês. Uma primeira nota consignava a venda do veículo para a empresa R L de Farias – RL Empreendimentos, cujo sócio responsável é Roberto Lima de Farias. A segunda nota registrava a revenda desta empresa para as prefeituras.

Apesar da existência de duas operações de compra e venda, Élton Luís da Silva Lima solicitava o registro e o primeiro emplacamento em nome das Prefeituras, o que era autorizado pelo Ciretran de Santa Inês. A operação era registrada no sistema informatizado como se a venda tivesse ocorrido diretamente do fabricante para as Prefeituras.

Em 2018, essa prática foi proibida pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Élton Luís da Silva Lima passou, então, a utilizar notas fiscais falsas para continuar obtendo o registro e o emplacamento diretamente em nome das Prefeituras, como se as vendas tivessem sido feitas pelos fabricantes.

Após a realização de diligências junto aos fabricantes, constatou-se que as vendas eram feitas, de fato, para as empresas F V dos Santos (Totalmax), R L Empreendimentos ou para pessoas físicas ligadas a elas. Os veículos eram posteriormente entregues às Prefeituras, com valores superiores aos que efetivamente haviam sido adquiridos.

De acordo com as informações prestadas pela Secretaria de Estado da Fazenda, as operações sugerem forte indício de supressão de crédito, pois a empresa R L Empreendimentos atua como locadora de veículos, gozando de benefícios fiscais, assim como Danielle Brito de Oliveira, Gustavo Henrique da Silva Gomes e Antônio Carlos dos Santos Martins Júnior, que tinham vantagens em razão do Convênio ICMS 51/00.

A empresa F Vieira da Silva também foi investigada e tinha o mesmo modus operandi. Klecyo Henrique de Matos Barrosera contador nesta empresa e na R L Empreedimentos.


Dentre as prefeituras que adquiriram veículos através desse esquema criminoso estão a de Bom Lugar, Pio XII, Anapurus, Buriti, Altamira do Maranhão, Tasso Fragoso, Santa Luzia, Mirador, Vargem Grande, Afonso Cunha, Esperantinópolis, Cedral, Bequimão, Araioses, Serrano do Maranhão, Cidelândia e Santa Luzia do Paruá.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

PGJ possui mais de 180 investigações criminais abertas contra pessoas com foro

Informações foram divulgadas pelo Ministério Público do Maranhão e Atual 7
A PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça) do Maranhão possui mais de 180 investigações criminais abertas contra pessoas com prerrogativa de foro. A informação é do próprio Ministério Público, divulgada na semana passada.
Segundo o órgão, os procedimentos tramitam no Núcleo de Investigação do MP-MA, no âmbito da Assessoria Especial de Investigação, exclusiva para apurar atos ilícitos praticados por agentes políticos detentores de foro por prerrogativa de função.


O levantamento não inclui ações de improbidade administrativa —que não têm natureza criminal (que pode resultar em prisão e/ou busca e apreensão), mas cível, e para quem a única hipótese constitucional expressa é no caso do presidente da República.
Embora a PGJ não tenha informado os nomes e objeto das investigações, conforme vem mostrando o ATUAL7, um dos alvo é o secretário estadual de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela. Há contra ele pelo menos dois procedimentos investigatórios criminais abertos, que apuram a suspeita de ordens para monitoramento e escutas ilegais a desembargadores do Tribunal de Justiça e políticos de oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB).
Diversos prefeitos e prefeitas também são alvo de investigação, parte tramitando sob sigilo e com auxílio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas).
A instauração de alguns desses procedimentos, inclusive, foi divulgada pelo ATUAL7: Daluz Figueiredo (Governador Eugênio Barros), Mazinho Leite(Cândido Mendes), Valmir Amorim (Araguanã), João Dominici (São João Batista), Maninho (Alto Alegre do Maranhão), Irlahi Moraes(Rosário), Magno Bacelar(Chapadinha), Jorge Oliveira(Duque Bacelar) e Djalma Melo(Arari).
As investigações contra os gestores municipais, em sua maioria, são relacionadas a fraude em licitação, peculato, organização criminosa e esquemas de corrupção.
Por se tratar de pessoas com foro, todas as investigações são instauradas e presididas pelo procurador-geral de Justiça, Luiz Gonzaga Martins Coelho, pessoalmente ou por delegação, conforme previsto na Constituição da República e na Constituição Estadual.

Por Atual 7.

Motorista dorme ao volante e atropela duas crianças e moradores bloqueiam BR- 402 em Rosário.

Um acidente foi registrado na tarde deste domingo (17), no Km 15 da BR-402, nas proximidades do povoado Nambu Açu de Cima, localizado no ...