quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Roseana Sarney e a fábrica de factoides em Rosário


Da serie outdoors do atraso, relembre uma reportagem retirada do Jornal O Imparcial , pelo saudoso jornalista Marcos Nogueira que mostra a fábrica de ilusões criada pela Mirante para promover Roseana Sarney:

Nos quase oito anos de governo de Roseana Sarney, de 1995 a 2002, o trabalho extremamente profissional de seus marqueteiros e comunicadores liderados por Antônio Carlos Lima passaram para a opinião pública maranhense e brasileira, a imagem de uma grande administradora pública.
Na mídia sarneysista, Roseana era sinônimo de agilidade e modernidade e aparentava realizar uma administração revolucionária, descentralizando o poder e democratizando-o. Tudo não passou de um engodo muito bem engendrado por Pipoca e Antônio Lavareda. O governo de Roseana era uma espécie de uma grande caixa de papelão vazia e oca por dentro, sem qualquer tipo de conteúdo, mas ricamente adornada por fora com papel salofone prateado e amarrado com fitas brilhantes de várias cores.
Alguns exemplos extraídos de meus arquivos pessoais relembram a verdade sobre a administração de fachada do casal Roseana Sarney & Jorge Murad. Foi um rosário de fracassos, mentiras e empulhações criadas no primeiro período democrático da Governadora Sarney, entre os anos de 1995 e 2002:
1) 1996 – O presidente FHC “inaugura” o pólo têxtil de rosário acompanhado da governadora sarney e do empresário chinês “171″ Chhai Kwo Chheng.
* Cópia da matéria do jornal “O Imparcial” sobre a inauguração do Pólo Têxtil em Rosário em 13 de dezembro de 1996. O presidente Fernando Henrique Cardoso veio ao Maranhão inaugurar uma fábrica de confecção que nunca funcionou de fato Continue lendo clicando aqui:


Por Ricardo Santos

Nenhum comentário:

Ibope aponta Braide com 54% e Duarte com 46%

A TV Mirante divulgou nesta sexta-feira (27), no JM2, a última pesquisa Ibope no segundo turno da eleição para prefeito de São Luís, entre o...