terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Agora Lascou: Lixo hospitalar é descartado irregularmente em Rosário

Os vereadores da cidade de Rosário receberam uma denúncia sobre a destinação irregular de lixo hospitalar enterrado ilegalmente em um terreno no povoado São Simão, em Rosário. A recomendação do MS e da VISA é que todo lixo hospitalar tenha uma destinação final de acordo com a lei sanitária, e não jogado em qualquer lugar e de qualquer maneira.

Após receberem a denúncia, os vereadores Magno Nazar (PRP) e Nazareno Barros (PTdoB), foram, ‘In loco’, na tarde desta segunda-feira (02), verificar se havia veracidade na denúncia. Ao chegar no local indicado por populares, os vereadores constataram o crime.

Os vereadores Luis Carlos, o Kiko (PP), Carlos do Remédio (SD) e o presidente da Câmara, vereador Agenor Brandão (PV) também participaram da operação.



Após o flagrante da irregularidade, os vereadores se reuniram com a assessoria jurídica da câmara para ver a melhor maneira de proceder com o caso. O Dr. Mozart Baldez, ao lado dos parlamentares, levou o caso ao delegado de polícia civil de Rosário, Dr. Marconi Caldas. Na delegacia, os vereadores solicitaram ao delegado abertura de um inquérito policial para investigar o crime ambiental e, consequentemente, punir o autor desse ato irresponsável.

Dr. Marconi, por sua vez, disse que tomará todas as medicas investigativas para apurar o caso e tentar descobrir o infrator, inclusive, abrindo processo de investigação criminal solicitado pelos parlamentares.

No dia 12 de janeiro deste ano, uma comissão composta pelos vereadores Agenor Brandão, Magno Nazar, Preto do Raça, Jardson Rocha, Kiko, Ademar do Sindicato, Nazareno Barros e Carlos do Remédio realizaram uma inspeção ao único hospital público da cidade de Rosário, o SESP. Durante a visita, os vereadores encontraram diversas irregularidades, e uma delas foi justamente o acumulo de lixo hospitalar jogado nas dependências externas do hospital. E pior, ao alcance de qualquer pessoa.

Há uma suspeita de que o lixo encontrado em São Simão seja o mesmo encontrado no SESP mês passado. No entanto, só a perícia técnica e as investigações poderão afirmar de onde partiu essa prática maldosa. Se após as investigações for constatado que o lixo é de responsabilidade do município, que é o que tudo indica, a prefeita Irlahi Linhares (PMDB) deverá enfrentar mais um problema no poder legislativo municipal.

Outro problema é a suspeita de existência de restos cirúrgicos enterrado no local. Um odor forte e a presença de moscas foram a causa da suspeita. Só que o SESP não está realizando cirurgias, e é aí que entra a dúvida. Como só há duas fontes que produzem esse tipo de lixo na cidade de Rosário, pois, além do hospital municipal, tem, também, a clínica particular de propriedade de Irlahi Linhares. Se por acaso ficar provado que o lixo partiu de algum desses citados acima, é a prefeita quem deverá ser responsabilizada.

Na manhã desta terça-feira (03), a denúncia dos vereadores será protocolada junto ao Ministério Público, para que, assim como a polícia investigativa, o MP também entre no caso e apure o ocorrido.

Ao ser interrogado, o presidente da Câmara de Rosário disse que dará todo apoio necessário para ajudar a encontrar o autor desse crime, que, além de ser ambiental, é, também, de saúde pública. As comissões permanentes da casa deverão encabeçar a linha de frente no parlamento. O vereador Luis Carlos (Kiko), presidente da comissão de meio ambiente da câmara, e o vereador Carlos do Remédio, presidente da comissão de saúde, devem produzir relatórios sobre o fato e entregar à mesa diretora para que tome medidas de cunho político.

Por Bacabeira em Foco

Nenhum comentário:

Prefeitura de Rosário anuncia novas medidas restritivas de prevenção à Covid-19

O prefeito de Rosário, Calvet Filho, anunciou novas medidas restritivas de proteção à vida, publicadas no Decreto nº 250 da edição de quinta...