quarta-feira, 4 de julho de 2012

Aumenta preocupação de deputados com as obras da refinaria Premium

Refinaria Premium
Depois de um intenso debate que, na semana passada, envolveu os deputados Eduardo Braide, Marcelo Tavares, Neto Evangelista e Bira do Pindaré, o plenário da Assembleia Legislativa aprovou ontem à tarde requerimento de autoria de Eduardo Braide, solicitando que a presidente da Petrobras, Graça Foster, informe o cronograma de implantação da Refinaria Premium I na cidade de Bacabeira.

Para Braide, o Poder Legislativo precisa saber mais detalhes da implantação da Refinaria Premium I, que, segundo a Petrobras, acaba de entrar no rol de projeto em avaliação, e atrairá um volume de investimentos muito grande no Estado do Maranhão.

Braide observa que, em outras palavras, a Petrobras insinuou que a Refinaria Premium I não será entregue no prazo pré-estabelecido, e que ainda pairam algumas dúvidas sobre o deslocamento dos recursos do governo Federal para a implantação definitiva do grande projeto.

Eduardo observa que o projeto da Refinaria atraiu empresas para o município de Bacabeira e gerou muita expectativa na região do Munim. "Como ficam os empresários e centenas de jovens que fizeram cursos de qualificação e já tinham data prevista para trabalhar"?

O parlamentar acha que o Maranhão precisa saber, de forma clara, o cronograma de execução, para que não paire nenhuma dúvida acerca da entrega da obra. Segundo ele, não são poucos os comentários que a obra pode não ir para frente. "A Petrobras tem que dar a palavra final", cobra.

Sob reavaliação - Na semana passada, o Jornal Pequeno publicou a noticia de que, das quatro novas refinarias previstas pela Petrobras, apenas a de Pernambuco, a polêmica Abreu e Lima, uma possível parceria com a venezuelana PDVSA, tem data para entrar em operação.

Outras duas refinarias prometidas pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, uma no Maranhão (Premium 1, em Bacabeira) e outra no Ceará (Premium 2), entraram no rol de projetos em avaliação pela Petrobras.

Com três anos de atraso e oito vezes mais cara, a primeira fase da refinaria Abreu e Lima, também conhecida como Refinaria do Nordeste (Rnest), entrará em operação em novembro de 2014, ao custo de US$ 20,1 bilhões (era US$ 2,3 bilhões), segundo o novo plano de negócios da Petrobras para o período 2012-2016.

'As refinarias são fundamentais, mas preciso saber quanto custa e quanto já se fez', disse a presidente da Petrobras, Graça Fortes.

Pelo Plano de Negócios da empresa, as refinarias Premium 1(Maranhão) e Premium 2 (Ceará), ainda não iniciadas, não ficarão prontas antes de 2017.

Nenhum comentário:

SESI-MA desvaloriza a Cultura de Rosário, durante inauguração de unidade no Município

  Nesta quarta-feira, dia 10 de abril, às 16 horas, durante a  inauguração do Serviço Social da Indústria ( SESI-MA ),   do Centro de Atendi...