terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Governo do Maranhão não comenta vídeo feito em presídio

O governo do Maranhão não quis comentar o vídeo feito por presos em que eles comemoram a decapitação de rivais no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. A Folha enviou as imagens ao governo.
 
Segundo a Secretaria Estadual de Comunicação Social, imagens supostamente registradas na prisão estão sendo divulgadas e poderão ser alvo de inquérito para investigar sua veracidade.
 
Sobre providências para conter as mortes no presídio, cobradas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o governo de Roseana Sarney (PMDB) afirmou ontem que há "inverdades" sendo divulgadas a respeito do assunto.
 
Desde o ano passado, 62 detentos foram mortos no local em confrontos entre facções criminosas rivais.
 
O relatório do governo do Maranhão enviado à PGR ontem servirá de base para o procurador-geral decidir se pedirá ao Supremo intervenção federal no Estado por causa da violência nos presídios.
 
Ao divulgar o documento, o governo atacou o juiz do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) Douglas de Melo Martins, autor do relatório que denuncia assassinatos, estupros de parentes de presos e torturas em Pedrinhas.
 
A gestão Roseana diz que Martins divulga "inverdades" para "agravar ainda mais" a situação das cadeias do Estado. O governo diz nunca ter recebido denúncias de estupros de parentes de presos.
 
Diz ainda ser "fraude grosseira" um vídeo anexado ao relatório que mostra um homem agonizando com a perna dissecada, supostamente vítima de tortura no presídio. Segundo o Estado, o vídeo circula há mais de dois anos na internet "em sites pornográficos e até de pedofilia".
 
O CNJ disse que avalia as declarações do governo.
 
 

Nenhum comentário:

Jovem de Rosário morre ao ser atropelada por caminhonete em São Luís; o motorista atropelador fugiu

Uma jovem identificada como Rosany Alves, residente na cidade de Rosário, morreu, na madrugada deste domingo (27), em São Luís, vítima de at...