quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Motorista vira réu por acidente que matou cinco pessoas no Jaracaty em São Luís.

A Justiça também manteve a prisão preventiva de Victor Yan Barros, de 25 anos, que havia sido determinada dois dias após o acidente
A Justiça do Maranhão aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público do Estado (MPMA) contra Victor Yan Barros de Araújo, de 25 anos, motorista do veículo Corolla que capotou na Avenida Carlos Cunha, no bairro Jaracaty, em São Luís, e matou cinco pessoas na madrugada de domingo (08).

De acordo com o juiz Gilberto de Moura Lima, a acusação preenche todos os requisitos previstos no Artigo 41 do Código de Processo Penal (CPP), com a exposição do fato criminoso, suas circunstâncias, qualificação do acusado e classificação do crime. Também foi mantida a prisão preventiva do motorista, que havia sido determinada pela Justiça dois dias após o acidente.

Desde o dia do acidente, Victor Yan continua internado em um hospital particular da capital. As investigações realizadas pela Polícia Civil e que foram anexadas na denúncia, também apontaram que o motorista já havia se envolvido em outro acidente de trânsito, onde ele atingiu uma motocicleta com duas pessoas.

Segundo testemunhas, ele estava sob efeito álcool e entorpecentes e fugiu do local sem prestar socorro. Para a Justiça, o fato de trafegar em vias em estado de embriaguez é motivo suficiente para concluir que o acusado assumiu riscos de produzir acidentes no trânsito, colocando a sua vida de outras pessoas em risco.

O laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) realizado em Victor Yan após o acidente apontou que ele não estava embrigado no momento em que realizou o exame. Segundo a Delegacia de Acidentes de Trânsito (DAT), o motorista não realizou o teste do bafômetro no dia, mas um termo lavrado pelos policiais militares que atenderam a ocorrência comprovou que Victor apresentava sinais de embriaguez.

Laudo do Instituto Médico Legal aponta que Victor Yan Barros de Araújo não estava embriagado no momento do acidente.

O acidente

Na madrugada de domingo (08/09), o carro que era guiado por Victor Yan Barros de Araújo se envolveu em um acidente na Avenida Carlos Cunha no bairro Jaracaty, em São Luís. Ele perdeu o controle do veículo, após uma manobra em alta velocidade, e capotou em uma barreira de aproximadamente quatro metros de altura, atropelando várias pessoas que participavam de uma festa de aniversário na Rua Um, após derrubar duas árvores.

Cinco pessoas morreram por conta do acidente. Dentre os mortos, duas estavam no carro que era guiado por Victor Yan. As outras três vítimas participavam da festa de aniversário.

No acidente, morreram: Carla Correa Diniz, agente penitenciária que deixou dois filhos; Tiana Alves Correa, prima de Carla; Henrique Martins Durans Neto, morador do Jaracaty; Maurício Andrey Soares, que estava no banco do carona do veículo envolvido no acidente e morreu no local; e Ana Lourdes, passageira do veículo envolvido no acidente. Ela passou alguns dias internada e morreu no Hospital Carlos Macieira.

Manifestação de moradores e obras para evitar novos acidentes

Dois dias após o acidente, moradores do Jaracaty realizaram um protesto para reivindicar melhorias na área que aconteceu o acidente. A manifestação parou o trânsito nas principais avenidas de São Luís. Em seguida, foi realizada uma reunião da população com a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) onde ficou acertada a construção de uma mureta para a proteção do lado direito da Avenida Carlos Cunha e a colocação de agentes de trânsito na região.

As obras estão em andamento no local. A antiga faixa de pedestres, que era localizada nas proximidades da Casa da Mulher Brasileira, foi deslocada para as imediações do Banco do Brasil, com a instalação de um conjunto de semáforos. As equipes estão finalizando os trabalhos de retirada do primeiro retorno que existia na cabeceira da Ponte Bandeira Tribuzzi e eliminando uma espécie de ‘bico’ que existia no canteiro centro, permitindo o alargamento de uma das vias de acesso à ponte. Foi nesse ‘bico’ que o motorista bateu e estourou o pneu do carro, após uma manobra brusca, em alta velocidade.

Além disso, os moradores aguardam a implantação de uma barreira de proteção na lateral da Avenida Carlos Cunha para evitar que outros carros desgovernados desçam a ribanceira.

Do G1 MA

Nenhum comentário:

Ciclista morre após ser atropelado na BR-402, em Rosário

Na manhã da última sexta-feira, 18, um ciclista identificado como José Aparecido Costa, morreu após ser atropelado por um carro, no km 15...