terça-feira, 12 de maio de 2020

Suspeito de ameaçar juiz que decretou lockdown em São Luís é preso no Paraná

Nesta terça feira (12), a Polícia Civil do Estado do Maranhão, através do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT/SEIC), cumpriu dois mandados de busca e apreensão e prendeu, preventivamente, o maranhense Edson Douglas Oliveira de Freitas, de 29 anos, nascido em Caxias, mas que reside no Estado do Paraná, por suspeita de ameaças ao Juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís. A prisão aconteceu em Curitiba e teve o apoio operacional do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Paraná.

Segundo o Superintendente da SEIC, delegado Armando Pacheco, o suspeito iniciou as ameaças no mês de dezembro de 2019, por conta de uma decisão do Juiz Douglas de Melo Martins, na qual foi permitida a participação de deficientes no Curso de Formação de Oficiais.

Além disso, o delegado informou que a segunda ameaça foi feita por meio de uma rede social, depois que o juiz Douglas Martins decretou o lockdown (bloqueio dos serviços não essenciais) em São Luís e mais três municípios da Região Metropolitana da capital. Uma das mensagens dizia que o juiz iria morrer, caso não voltasse atrás na decisão. Imediatamente, o magistrado pediu investigação à Polícia Civil do Maranhão.

Ameaças de morte

O juiz que decretou lockdown na Ilha de São Luís relatou que estava recebendo ameaças de morte após o decreto. Douglas de Melo Martins afirmou que as ameaças estão sendo feitas em suas redes sociais.

Segundo ele, muitas pessoas não concordaram com a decisão de confinamento e por isso começaram a o ameaçar. O Tribunal de Justiça do Maranhão e a polícia foram acionados pelo magistrado. Ainda segundo Douglas Martins, essas mesmas pessoas que cometem essas atrocidades são as mesmas que vão às ruas e depois procuram os hospitais, infectados com coronavírus.

O imparcial 

Nenhum comentário:

Em Rosário, Roubo das 530 doses de H1N1 da geladeira do Hospital SESP completa dois meses sem solução.

No município de Rosário o roubo  das 530 doses da vacina  influenza H1N1 da geladeira do sistema de frios do Hospital SESP durante a ca...