quinta-feira, 21 de maio de 2020

Prefeita, vereadores e o secretário de Educação todos calados sobre o muro de creche de quase R$ 400 mil que poderia pagar as gratificações dos Profissionais da Educação de Rosário.

Prefeita Irlahi Moraes ao lado do seu secretário de Educação Joaquim .
No município de Rosário que fica a 68 Km da capital São Luís uma falta de respeito acontece para com os profissionais da Educação da rede municipal  que lutam para ter as suas  gratificações que a prefeita Irlahi Moraes (MDB), prometeu cumprir durante um acordo entre as partes, mas até agora não realizou o seu cumprimento.

O que deve mais doer nos profissionais na Educação são as  traições da prefeita, secretário de educação Joaquim,  sindicato (SISMURB) e os vereadores que engavetaram o Anteprojeto que beneficia os profissionais durante essa  pandemia com as gratificações que junto com seus  salários daria para botar o alimento sagrado na mesa  desses profissionais que são esquecidos pelo poder legislativo e executivo de Rosário relembre.

Só lembando aos leitores do blog que a prefeita Irlahi Moraes que não quer cumprir o acordo com os profissionais da Educação,  usou  o dinheiro público que poderia pagar  no as gratificações para construir um muro de uma creche no povoado de São Simão que parece ser de ouro no valor  de R$  320.462, 50 ( trezentos e vinte mil, quatrocentos e sessenta e dois reais e cinquenta centavos relembre.


A Câmara de Rosário através dos seus edis que engavetaram o Anteprojeto das gratificações do profissionais  da Educação durante a pandemia, nunca fiscalizaram o recurso  da obra que tudo indica ser um elefante branco em São Simão, que poderia ser usado para pagar as gratificações dos profissionais da Educação.

Agora cabe o Ministério Público Federal investigar o recurso federal que foi para construção só de um muro de quase R$ 400 mil reais de uma creche.

Até o fechamento da matéria Câmara de Rosário,  Secretaria Municipal de Educação e a prefeita Irlahi  não se manifestaram sobre alto valor do muro da creche e sobre as gratificações dos profissionais da Educação.


Nenhum comentário:

Em Rosário, Roubo das 530 doses de H1N1 da geladeira do Hospital SESP completa dois meses sem solução.

No município de Rosário o roubo  das 530 doses da vacina  influenza H1N1 da geladeira do sistema de frios do Hospital SESP durante a ca...