quarta-feira, 8 de agosto de 2012

César Pires revela dados sobre agiotagem nas prefeituras do MA

 deputado César Pires
O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado César Pires, revelou ontem, na tribuna da Casa, dados por ele considerados assustadores em relação ao sistema de agiotagem que envolve as prefeituras do Maranhão. “Fiquei assustado quando o Sistema de Segurança me comunicou que 87 prefeituras estão envolvidas diretamente no sistema de agiotagem”, afirmou.

Segundo Pires, as informações repassadas aos seus pares foram colhidas junto ao secretário de Segurança, Aluízio Mendes, que lhe adiantou que o Sistema de Segurança tem conhecimento de outros tantos agiotas que não estão envolvidos nas investigações ora em curso, mas que estão vinculados a outras prefeituras, podendo chegar a 123 prefeituras envolvidas com essa situação.

“O sistema bancário, em nível do Banco do Brasil, por meio de seus gerentes e outros funcionários, sabia e compartilhava desse sistema de agiotagem. Foram encontrados prefeitos que pediram R$ 300 mil, já tinham pago R$ 6 milhões e ainda deviam R$ 6 milhões e duzentos e cinquenta mil”, revelou César Pires.

De acordo com César Pires, a cada R$ 100 mil que iam para a merenda escolar, apenas R$ 20 mil chegavam aos alunos. “Como é que nós podemos melhorar os indicadores sociais se o sistema bancário está vendido, se a parte da polícia está podre, se as políticas estão podres? É por isso que a política está paupérrima no estado do Maranhão. Felizmente não é 100% do estado”, analisou.

César Pires disse que 30 prefeitos, dos 87 envolvidos, apresentaram a possibilidade da delação premiada de poder ir depor, como fez recentemente o ex-vice prefeito Banga, do município de Serrano do Maranhão. Ele informou que, como os prefeitos gozam de foro em razão do exercício da função, ou seja, só podem ser julgados pelo Tribunal de Justiça do Estado, está sendo feita uma triagem para saber o que deve ser remetido para a Promotoria Pública Estadual e Federal.

“Parte das emendas parlamentares dada a algumas prefeituras são vendidas antecipadamente, como fazem os agricultores do interior do estado quando vendem sua produção na palha. Não é o deputado quem vende a emenda, é a prefeitura que, quando o deputado apresenta a emenda, já antecipa a venda para poder fazer alguma coisa”, declarou.

Apartes – Em aparte, Bira do Pindaré propôs que se instalasse uma CPI para investigar os gestores públicos que desviam verbas públicas. O deputado defendeu que seja divulgado o nome das prefeituras envolvidas no sistema de agiotagem. “Esta é uma informação importante para o povo do Maranhão que nesse momento tem que escolher novos gestores”, argumentou.

César Pires refletiu que nunca tinha se perguntado como ia ao ralo o dinheiro desses 217 municípios, que fazem parte dessa cesta que compõe os baixos indicadores sociais do Maranhão, no campo da saúde, do saneamento, entre outros. “Talvez eu tenha cometido injustiça quando penalizava os governos que não fazem nada e esquecia de observar o todo. Era como se a gente estivesse dentro da montanha e não saísse dela. E quando você sai tem uma visibilidade maior”, assinalou.

Um comentário:

Anônimo disse...

ENQUANTO A ESSA CITAÇAO DO BIRA DO PINDARÉ SERIA UMA OTIMA IDÉIA UMA CPI I DIVULGAR O NOME DESSES VAGABUNDOS POR ISSO QUE NADA AQUI NO MARANHÃO VAI PRA FRENTE COM ESSES SANGUE SUGAS MIZERAVÉIS..

Wesley Sousa, primeiro músico profissional a assumir cargo legislativo em São Luís

[São Luís] - Wesley Sousa, renomado professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), músico e ativista social, dá um passo significativo e...